Epicondilite Lateral

Benefícios da Osteopatia no Tratamento

EPICONDILITE, O QUE É ?

A epicondilite, que é uma lesão no côndilo do osso do úmero. A mais comum é a lateral. Ocorre repetidas e minúsculas rupturas no tecido dos tendões laterais, que se inserem no côndilo lateral do úmero e rádio.

CAUSAS

Ocorre normalmente por um uso excessivo dos tendões laterais que fazem a extensão do punho. Esses tendões são puxados em excesso e podem ser lesados e inflamados.

No esporte é mais comum acontecer nos atletas do tênis, mas pode acontecer em esportes que usam muito o braço, ou também por trauma na região do cotovelo. Pode também acontecer em trabalhadores que fazem uso excessivo do antebraço, como pintores, pessoas que usam muito computador, cozinheiros, etc.

SINTOMAS

Os sintomas são dores fortes na região lateral do cotovelo, que pode irradiar para ombro e ou antebraço.
Dor no movimento de extensão.
Perda de força ao realizar a extensão de punho, podendo também acontecer quando se segura alguns objetos.
Queimação lateral no cotovelo.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

Em uma avaliação de Osteopatia, precisamos fazer um diagnóstico diferencial da epicondilite. Veremos se é somente uma lesão local, se tem origem cervical (pela inervação), GANGLIO ESTRELADO (vascularização) ou dor referida visceral (hepática biliar).

TRATAMENTO

Teremos que normalizar todo controle vascular, sensitivo e muscular do membro superior, através da inervação.
A coluna cervical média é quem inerva a região lateral do cotovelo. Identificamos a lesão e tratamos. (C5-C6)

Teremos que liberar a parte vascular do membro superior, os desfiladeiros. Para isso trataremos a origem do gânglio estrelado. Precisamos ter certeza que o cotovelo está sendo bem irrigado. (C7-T1)

É importante trabalhar a coluna dorsal para melhorar a vascularização do cotovelo e evitar hipermobilidades cervicais.

Precisamos avaliar a articulação do cotovelo. Podemos encontrar comumente lesões de posterioridade da cabeça do rádio, lateralidade interna de cotovelo e rotação externa de ulna.

Por fim, é interessante trabalhar a musculatura do membro superior, para obter um relaxamento da mesma.