Osteopatia na Gravidez

Benefícios da Osteopatia no Tratamento

Osteopatia na Gravidez

A gravidez é um período de nove meses maravilhoso para a mulher. Mas pode ser também um período de alguns sofrimentos característicos para a grávida.

Eu sou mãe de dois meninos, passei duas vezes por isso e tive alguns sintomas indesejáveis. Posso garantir que a osteopatia me ajudou muito em vários fatores.

Na gestação ocorre a liberação de um hormônio chamado relaxina, que é responsável por causar uma frouxidão ligamentar. Essa frouxidão ocorre para aumentar a flexibilidade do quadril, região sacro-ilíaca, para que o bebê possa passar durante o trabalho de parto.

Com o aumento do útero e aumento de peso, o centro de gravidade da gestante muda. Muda-se a postura, sobrecarregando várias partes do corpo.

Com tudo isso pode ocorrer algumas instabilidades e sobrecargas no corpo da gestante Normalmente a primeira a sofrer é a coluna lombar, mas é comum encontrarmos dores em quadril, púbis, coluna cervical, joelho, etc.

A osteopatia vai ajudar a gestante em diversos sintomas, pois vai ocorrer uma melhora da mobilidade articular e um melhor equilíbrio das partes do corpo. Além do controle da dor, também pode ajudar no equilíbrio do sistema nervoso, melhorando o estresse, sono e ansiedade.

Com esta técnica, conseguimos melhorar a mobilidade da articulação sacro-ilíaca, sínfise púbica, cóccix, facilitando o trabalho de parto e o nascimento do bebê.

É recomendável fazer depois do primeiro trimestre da gestação até o final. Também podemos ajudar no puerpério, em algumas tensões que podem ficar do trabalho de parto, reequilibrando o corpo da mãe. Caso o parto tenha sido cesárea, é importante se trabalhar a cicatriz mais posteriormente, para evitar fixações.

A técnica é suave, sem apresentar problemas para a gestante, mas pelo contrário, um grande alívio dos sintomas indesejáveis.